"There's a fear I keep so deep / Knew it name since before I could speak (...) If some night I don't come home / Please don't think I've left you alone"- Keep The Car Running, Arcade Fire

terça-feira, 19 de abril de 2011

Roberto

Hoje é aniversário de Roberto Carlos, 70 anos. As pessoas que me conhecem talvez me associem ao Radiohead, Doors, R.E.M., Beatles e, os mais antigos, a Legião Urbana. Mas provavelmente nenhum deles teve tanta influência para mim quanto o Rei.

Não há outro artista brasileiro que tenha conseguido abranger público tão diversificado quanto Roberto Carlos. Velho ou novo, rico ou pobre, analfabeto ou intelectual, não importa. Há algo nas canções do Rei que é universal e que emociona qualquer um pela identificação.

Lembro que comecei a ouvir ‘de verdade’ seus discos ao sair da adolescência. Antes havia As canções que você fez pra mim, lindo disco que a Bethânia gravou só com músicas de Roberto e Erasmo, e uma fita cassete (depois cd) chamada Palavras, que gravei juntando os discos de meus pais. Nela já havia canções como ‘Proposta’, ‘Tente Esquecer’, ‘Seu Corpo’, ‘Um jeito estúpido de te amar’ entre outras...

Não dá pra medir o quanto a audição dessas e outras pérolas reais alimentou em mim uma ilusão romântica que teima em permanecer e é, ao mesmo tempo, minha salvação e desgraça no que concerne a envolvimentos amorosos.

Além de grande compositor e excelente cantor (por mais que muitos torçam o nariz...), Roberto possui um carisma impressionante, é uma figura extremamente impactante e a prova disso é a força que possui mesmo que, como compositor, não tenha lançado nada de relevante há uns trinta anos.

Até hoje – e tenho certeza de que enquanto eu for vivo – as canções de Roberto me acompanham nos momentos apaixonados ou solitários. E isso é mais do que eu posso querer de qualquer músico, cineasta ou escritor. Por tudo isso, eu agradeço e desejo que Deus continue presente de forma tão marcante em sua vida, marcada pelo imenso sucesso e por perdas tão difíceis.

Para comemorar esta data tão especial, esta semana publicarei, em duas postagens, breves análises dos álbuns de 68 a 79. Discos formidáveis, importantes não só para minha vida pessoal, mas para a história da música popular brasileira.



 Por Ricardo Pereira

2 comentários:

  1. Parabéns, Rei!

    Merecida homenagem, Tino. Aguardo ansiosamente as suas análises dos discos.

    Abç

    ResponderExcluir