"There's a fear I keep so deep / Knew it name since before I could speak (...) If some night I don't come home / Please don't think I've left you alone"- Keep The Car Running, Arcade Fire

domingo, 15 de maio de 2011

Inocente quando sonha

As coisas não andam tão fáceis por aqui. Ando me sentindo como em A Origem, como se o meu mundo se desintegrasse e eu percebesse e tentasse correr disso. Mas aqui não é sonho, não é ficção... Sinto-me em um processo crescente de degradação física, moral e emocional. Mas nessa semana começo a tentar consertar essa situação, com uma atitude que me assusta pelas perspectivas para os próximos tempos, mas me deixa otimista quanto às mudanças a longo prazo.

Mas esse texto não é para me lamentar, e sim para exaltar/agradecer. É que ontem tivemos daqueles pequenos grandes momentos que fazem o mundo parecer maravilhoso. Há um lugar que vem se tornando um autêntico ponto de encontro como já foi o Bar do Maycon, a ‘torre’ do Angra Shopping, entre outros. É um boteco (na melhor acepção do termo), com cerveja gelada e – o que acaba fazendo toda a diferença – uma jukebox. Ali, por conta dos mais diversos gostos musicais dos presentes e muito pelas nossas próprias bizarras listas de música, acaba tocando de tudo um pouco.

Ontem lá estivemos em mais um daqueles encontros despretensiosos que se transformam em épicos. Começamos eu, minha prima Loo, Giane – mão do meu afilhado e minha também de certa forma – e Marcel - grande amigo e irmão do Hugo e, por consequência, irmão meu também. Em meio às nossas acaloradas conversas e sequências intermináveis na jukebox, as pessoas foram chegando, Cecel, Mariana e Jonas (ela, grande amiga desde sempre; ele, um paulista e gente boa!!), Hugo, Gláucio... E quando vimos, o lugar já era nosso, uma espécie de ‘Além do horizonte’ da doideira.

E tome ‘grandes momentos’ – Hermanos em uníssono, coro para o Rei (“Reiê, Reiê”!), Kelly Key surpreendentemente emocionando, danças suspeitas, euforia... Momentos esses que me lembraram a Festa Panic, quando era Hang the DJ, num lugar menor, com menos pessoas, porém mais próximas e mais animadas.

O domingo veio, e com ele uma realidade não tão animadora. Mas, lá no fundo, sempre rola um sorriso ao lembrar algo engraçado da véspera, o que atenua um pouco meu negativismo, ansiedade, e traz esperança genuína de que as coisas possam realmente melhorar.

E esse é dedicado às pessoas e situações que fazem a diferença, trazem a ilusão de algum sentido à vida e colorem um pouco uma realidade (passageira, prefiro acreditar) que teima e insiste no cinza.

ariediod à odniv meb

Por Ricardo Pereira

8 comentários:

  1. Muito bom, mano... E a legenda da foto é ótima!

    !ohniziob, ias

    ResponderExcluir
  2. Ah Ricardo, que lindo esse texto!
    É isso mesmo, os pequenos grandes momentos fazendo a vida valer a pena!!
    Nós e a Jukebox..rsrsr
    Que venham mais dias assim!
    Beijos!
    Luisa

    ResponderExcluir
  3. haha o boteco é o nosso black lodge!

    ResponderExcluir
  4. Só de imaginar como deve ter sido esse dia, já tô rindo aqui... srrsrsrs

    bjos

    ResponderExcluir
  5. Pô, Grazi, você tinha que estar aqui! Ficou sério o negócio rs

    Bj!

    ResponderExcluir
  6. Será que rola repeteco esse fds? vou estar ai!!

    beijos

    ResponderExcluir
  7. É mesmo? Legal! Certamente sim, o negócio aqui anda movimentado!

    ResponderExcluir
  8. Eu posso dizer com toda felicidade: Eu estava lá... :)

    ResponderExcluir